LUTO

LUTO texto e imagem: Andrea Giovanna
Quando pensamos em luto, logo nos vem a cabeça a perda de pessoas queridas. Porém, penso que o luto vai muito além dessas perdas, que são realmente muito sofridas e que devem ser vivenciadas, mas e as demais perdas? A perda de bens materiais, a mudança de padrão financeiro, a da saúde em suas mais diversas possibilidades, um amor, o ninho vazio, a jovialidade e tantas outras perdas que poderíamos enumerar... Me pergunto: quantos de nós realmente se permitem sentir a dor da perda? Quantos de nós engolem o choro, se dá mil motivos para seguir em frente, faz várias coisas para resignificar a perda? Quantos de nós não se permitem vivenciar o luto? Quantas vezes pensamos que viramos alguma página, mas uma pequena faísca, um comentário pode abrir a ferida que talvez não estivesse totalmente cicatrizada? Ter um olhar profundo para nossas perdas é de extrema importância para a vivência do luto e sua superação. Talvez não olhar profundamente seja justamente uma fuga dessa dor, talvez seja mais fácil, ou não, já que cada um vivência a dor com uma intensidade. Mas, tudo que vai para debaixo do tapete uma hora aparece e a conta chega, como diz no dito popular. Então, para vivenciarmos qualquer tipo de luto, seja melhor encararmos nossa vulnerabilidade, pedirmos quantos ombros amigos necessitarmos, chorarmos mesmo e não uma lágrima aqui e outra ali. Buscarmos terapias, grupos de apoio, socarmos o travesseiro se for preciso, a fim de não sairmos derramando nossa raiva ou tristeza mal trabalhadas em quem já tem as suas perdas também. Não curamos tudo de uma vez, é um processo. Enquanto nos negarmos a ver aquilo que precisamos curar, a dor continuará aparecendo até que tenhamos a coragem para olhar pra ela. Talvez algumas dores nunca passem, se tornem crônicas, dependendo do seu motivo, então cabe-nos a aceitação e seguirmos cuidando com atenção. Sei que não é fácil, mas que possamos nos olhar com carinho, vivenciar nossos lutos sem medo, sem a vergonha de nos mostrarmos frágeis, e com a certeza de que tudo passa.

Comentários

  1. Excelente Amiga👏👏

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto Andrea! Concordo que se soubermos passar pelos momentos difíceis da vida sempre com um olhar de evolução como ser humano me parece um bom caminho para ressignificar cada sofrimento

    ResponderExcluir
  3. Bela reflexão ❤️❤️

    ResponderExcluir
  4. Oi querida! Concordo plenamente! 🌻🌻

    ResponderExcluir
  5. Querida, momento oportuno pra este texto. Grande verdade. O difícil é por em prática. Mas vamos tentando. Quem, hoje em dia, não anda com algum conflito?
    Gratidão!
    Beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  6. Como sempre, excelente! Reflexão profunda.

    ResponderExcluir
  7. Sem dúvidas, cada um consegue vivenciar ou não o luto e seja ele qual for!.Um luto a ser vivenciado com a intensidade que lhe prove uns mais outros menos ... o luto aí está !.

    ResponderExcluir
  8. Profunda reflexão. Muito bom o texto. 👏👏👏😘

    ResponderExcluir
  9. Lindo texto; as etapas dessa fase devem ser vivenciadas para não precisarmos trata-las posteriormente.

    ResponderExcluir
  10. Concordo com a mensagem da sua publicação
    e aplaudo o modo

    ResponderExcluir
  11. Concordo com a mensagem da sua publicação
    e aplaudo o modo como expôs o problema da
    perda e da frustração.
    Foram bons momentos de reflexão que agradeço.
    Eu publiquei sobre a paz. Vai gostar.
    Dias contentes e tranquilos. Beijos
    ~~~~~~~


    ResponderExcluir
  12. Como sempre, maravilhoso texto !

    ResponderExcluir
  13. Amiga, querida,

    Ótima reflexão! Nem sempre se consegue fazer o luto pelas perdas, sejam elas quais forem. Às vezes por achar que precisamos ser otimistas, resilientes e trabalhar a aceitação, acabamos por mascarar as dores que certas perdas nos causam. Não nos permitimos viver o luto e com isso, empurramos sim, para debaixo do tapete. Mas sempre chega um momento onde não dá pra fugir e é preciso encarar isso de frente para poder seguir adiante.

    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Amiga linda, você tem o dom das palavras!

    ResponderExcluir
  15. Muito bem colocada, cada palavra. O luto em si, realmente é isto. Passamos por diversos ao longo da vida. Das pessoas e coisas que amamos. E sim, cabe a cada um em seu tempo, saber superá-las, para que possamos seguir em frente. O sofrimento e a dor nos faz crescer e sermos mais fortes.E em alguns casos dar nos a oportunidade de olhar a vida com mais , atenção, sabedoria, gratidão e amor. E por fim, permitir- se renovar sempre. Excelente texto. Parabéns 🥰💋❤

    ResponderExcluir
  16. Tem toda a razão, temos de pegar o luto pelos cornos, qualquer que ele seja, como diria o poeta.
    Um excelente texto, gostei de ler.
    Continuação de boa semana, amiga Andrea.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  17. Ótima reflexão!!! Podemos racionalizar a "perda", desde que não represemos os sentimentos.

    ResponderExcluir
  18. Hoje, convido-a para uma festa em A Vivenciar... ✨ Vai gostar. Abraço.
    ~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  19. Qualquer que seja, o luto é sempre algo que fere a nossa sensibilidade e nos deixa magoados e fragilizados.
    As contingências da vida surgem por natureza e devemos estar preparados para as enfrentarmos.
    Abraço amigo.
    Juvenal Nunes

    ResponderExcluir
  20. De Cristina Ciotola:
    Querida Andrea, mais um profundo texto que nos leva a refletirmos sobre os lutos que acontecem na vida.
    Acho muito importante vivenciarmos esses lutos e buscarmos todas as formas de ajuda que estiverem ao nosso alcance, para tentar superá-los.
    Se isso não for possível, o melhor é tentar aceitar a perda e seguir em frente, para que não desperdicemos a nossa vida só com sentimentos de tristeza, dor e ressentimento, pois a vida passa muito depressa. E viva a vida!🙏🏻🙏🏻🙏🏻🙏🏻🥰🥰🥰🥰

    ResponderExcluir
  21. Um texto muito reflexivo. Ao longo da vida fazemos o luto de tanta coisa. E tantas vezes a sós...
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  22. Um texto profundo e estimulando muitas reflexões. Gostei muito. Voltarei mais vezes por aqui.

    ResponderExcluir
  23. De Márcia Conde:
    Oi amiga
    Interessante e Profundo seu texto.
    A dor do luto não tem uma data certa para acabar mas é possível confortar o coração com as boas lembranças que ficaram 🙏🏻
    Saudade de você 😙

    ResponderExcluir
  24. De Isa Kokay:
    Sim, Andrea… vivemos vários lutos em vida!!

    Particularmente vivo isso em vários momentos da vida!

    Fazendo um real retrato que a pandemia nos trouxe, de reais “perdas” físicas que nos fez viver o luto de perdas… tbm nos fez fazer a reflexão de uma reforma urgente que nos fez refletir sobre caminhos. Caminhos que por ventura nos induzia ao desgregramentos da vida ininterrupta de ir, e ir… com ela vários acontecimentos vieram para nos fazer refletir. Coisas que achávamos que estavam “certas”, mas nunca paramos realmente para olharmos com “olhos de ver”.

    O luto, vivenciamos a cada dia. Seja por nos olharmos no espelho, ou por refletir sobre nossa própria vivência… o que estamos fazendo com essa oportunidade?

    Hoje, particularmente, estou vivendo um luto existencial. Qdo vejo a idade cronológica chegar e ver que dentro da profissão, está se esgotando. Mas temos um arsenal desenvolvido… e a busca é incessante.

    Que possamos aprender sempre com esse luto que vivemos em vida, e vivassss à vida!!

    ResponderExcluir
  25. Gostei de ter notícias suas e de saber que está bem.
    Tive um resfriado bem forte e agora sinto-me algo debilitada,
    pelo que, estou numa pausa.
    Lindos dias de primavera. Beijos
    ~~~~~~

    ResponderExcluir
  26. Obrigada por cada comentário, bjinhos

    ResponderExcluir
  27. A vida é uma permanente adaptação à contrariedade... acho que devemos recorrer de todos os instrumentos, que nos permitam lidar melhor com isso... eu mesma estou num processo semelhante... desde a pandemia, ainda não pude recuperar todas as minhas rotinas de antes... tendo uma pessoa de alto risco por perto... não me permite frequentar com o mesmo à vontade, ambientes saturados de antes... ou levar essa pessoa comigo... o jeito... é cada um reinventar-se constantemente, conforme as circunstâncias o permitam... no meu caso... outros hábitos e rotinas se procuraram... deixei de frequentar shoppings apinhados de gente... passei a frequentar mais as lojas de bairro, mais calmas e pequenas, com bastante pena minha, é certo, mas a saúde de alguém próximo vem primeiro, do que qualquer outra sensação de bem estar minha... um pequeno exemplo, do meu caso... mas a vida prossegue... pesando os prós e os contras... há sempre soluções alternativas... mas há sim, que encararmos o problema... para melhor arranjarmos a melhor solução, para cada caso.
    Mais um texto belíssimo, que foi um gosto imenso ler!
    Beijinho! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A ARTE DO RECOMEÇO

INTERROGAÇÕES

COMO ALIMENTAMOS NOSSA ALMA?